Como Reduzir as Dores do Parto

Atualizado: 17 de mai. de 2021

Falam que uma das maiores dores que existem é a de parto. Porém, o conceito de dor muitas vezes é relativo.



1- Tenha um acompanhante

Uma das melhores formas de enfrentar o desconhecido é ter alguém que você ama ao seu lado, seja o marido, os pais ou alguma pessoa querida da mamãe. "Imagine chegar a um ambiente que você não conhece e ficar ali sozinha? Existe até lei dizendo que a mamãe tem direito a um acompanhante na hora de dar a luz". Vale ressaltar, inclusive, que em muitos locais a equipe médica pode ser hostil ou mal educada com a gestante ( acontece muito ), e ter alguém junto reduz esse tipo de gesto.

Por mais que a paciente crie um vínculo com seu médico, o foco do médico será o resultado do parto, e a pessoa que te acompanhar portanto tem um papel maior no conforto da paciente. Porém é importante que essa pessoa esteja preparada para ajudar, e que fique atento ao pré-natal de perto pelos nove meses. "Quem for acompanhar deve entender as fases do trabalho de parto, qual a interação com médico, quais os exames que serão feitos antes...". Na hora do desespero é mais fácil a mamãe ouvir uma voz familiar do que respeitar algum comando dos médicos.


Saiba mais aqui Monitor Doppler Fetal - Monitor de Batimentos Cardíacos do Bebê


2- Respirar da forma correta


Pode até parecer bobagem, mas respirar é muito importante para a vida, e também na hora de ter o bebê. "A respiração diminui a liberação de substâncias que aumentam a dor e dá a mamãe um controle emocional melhor".


Porém o tipo de respiração muda conforme o momento do parto: na hora das contrações é muito melhor respirar de forma lenta e profunda, para oxigenar melhor o corpo da mãe e do bebê. Já no momento de expulsar, quando seu filho está saindo, é indicado a respiração cachorrinho, rápida e constante.


3- Durante o parto, movimente-se


Muita mamães nem desconfiam, mas não precisam ficar deitadas durante o momento de ar a luz.


Algumas maternidades tem equipamentos como bolas de pilates e cavalinhos, ferramentas que estimulam a movimentação da mamãe durante o momento e ar a luz.

Acredite essa movimentação reduz o tempo de parto, e com isso você sentirá menos dores. "De pé, a gravidade ajuda a puxar o bebê, e a mamãe não fica apenas deitada na cama pensando na dor, com a movimentação acaba mudando seu foco".


Isso porque, os movimentos com a bacia podem ajudar.







4- Massagens podem ajudar e muito


A principal função o acompanhante é acalmar a mamãe, e uma das formas de fazer isso é por meio de massagens, que facilitam a hora do parto. "As contrações são esforços do músculo que deixam a mamãe inteiramente tensionada, por esse motivo realizar massagens entre as contrações aumenta o conforto e o relaxamento".


Não precisa ser uma massagem muito elaborada, podem ser apenas movimentos leves e circulares com as mãos abertas pelas costas, nuca e ombros.


5- A posição do parto


Ficar deitada durante no momento de dar a luz não é a posição mais legal para a mãe e para o bebê.


São os médicos que mais se beneficiam com essa posição, isso porque fica mais fácil puxar a criança, porém a mamãe sofre mais: "Estar deitada é uma posição que obriga a mulher a fazer uma maior força abdominal do que ela faria sentada, por exemplo, e isso acaba aumentando a dor", considera a obstetra. Por isso antigamente as mães davam a luz assim. Na posição de assentar.



Clique aqui e aproveite a super promoção do Monitor Doppler Fetal - Monitor de Batimentos Cardíacos do Bebê e ouça o coração do seu bebê sem ter que sair de casa!


6- Anestesia


Claro que a melhor forma de reduzir a dor é usando anestesias, e pode ficar tranquila, pois elas podem ser utilizadas também no parto normal. O tipo de anestésico muda de acordo com o momento do parto em que será aplicado. "Podendo fazer na hora em que o bebê está saindo, no caso raquidiana no períneo e nas pernas; ou, a partir de uma certa dilatação no início do trabalho de parto, pode ser dada a peridural, que tira a dor mas permite a movimentação".


Elas também podem ser misturadas no chamado duplo bloqueio. E caso seja preciso abrir um pequeno corte na vulva para que o seu filho saia, a chamada episiotomia, é feita também uma anestesia local.


"Com um bom preparo para o parto, uma mãe consegue parir sem episiotomia e sem anestesia. Porém, uma mulher que está com um sofrimento ou desconforto grandes pode pedir que deem anestesia".


Clique aqui para seguir o Instagram Dicas Maternas


Clique aqui para seguir o Instagram Papo de Mãe





1.514 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo